UOL Estilo UOL Estilo
14/01/2010 - 13h29

Feira de negócios Rio-À-Porter levou à passarela marcas que não desfilam inverno

 

Nomes como Wilson Ranieri, Mara Mac, Erika Ikezili, Cantão e Maria Bonita Extra fizeram parte da lista de 169 marcas que participaram desta edição da feira de negócios Rio-À-Porter. Os stands foram reunidos em um showroom de 8.250 metros quadrados, entre os dias 10 e 13 de janeiro, no Cais do Porto da capital carioca.

 

O Rio-À-Porter é o salão de negócios de moda e design integrado ao Fashion Rio, substituiu o Fashion Business, evento similar de Eloysa Simão, ex-direto da semana de moda carioca. 

 

A abertura da feira foi marcada pelo desfile de um look de 75 marcas expositoras, como Tessuti, Carlos Tufvesson, Lenny e Salinas, que não costumam participar da temporada de desfiles para o inverno.

 

Juntos, Fashion Rio e Rio-À-Porter receberam cerca de 85 mil visitantes, entre compradores nacionais e internacionais, interessados nas novas coleções para o Inverno 2010. 

 

Clique para ver as fotos do desfile de abertura do evento.

 


Escrito por: UOL Estilo


comunicar erro COMUNICAR ERRO

No Fashion Rio, jovens estilistas se destacam; veja os 5 melhores desfiles

Chegou ao fim a temporada carioca para o Inverno 2010. Na segunda edição coordenada por Paulo Borges e a produtora Luminosidade, os mesmos do SPFW, Gilberto Gil e os navios do Cais do Porto encantaram. Sorvetes Itália, típicos do Rio, vendidos em carrinhos de picolé, fizeram uma graça. O Rio-à-Porter, a feira de negócios que substituiu o Fashion Business, reuniu 169 marcas do país e fez negócios que renderam (ou renderão) mais de meio bilhão de reais, garante a produção. No quesito “organização”, um ponto negativo: mesmo começando no final da tarde para fugir do calor, salas de desfile e sala de imprensa (sem ar-condicionado) não agüentaram as altas temperaturas e esquentaram, fazendo sofrerem os fashionistas.

Desfile de Melk-Z-da, um dos cinco melhores da temporada carioca para o Inverno 2010

 VEJA FOTOS DOS "TOP 5" DO FASHION RIO

 

Com 27 desfiles apresentados em seis dias (8 a 13 de janeiro), alguns de marcas veteranas do Rio de Janeiro e de outras partes do país, foram os jovens estilistas os responsáveis pelos desfiles mais criativos, bem-resolvidos e também  usáveis, embora com mais conceito do que uma grande marca comercial. Nada, porém, que assuste quem já treinou o olhar depois de anos de desfiles nacionais vistos aos montes em revistas, TV e internet: dá para separar o que é só produção de passarela da peça que, com uma camisetinha básica, ficará ótima na “vida real”.
Na categoria “participações especiais”, a popular TNG trouxe os globais da novela das nove, Thiago Lacerda e Taís Araújo, para protagonizarem seu desfile que teve bons momentos nesta linha mais despretensiosa de moda, com estreia de Maurício Ianês na direção criativa. A Maria Bonita Extra produziu show ao vivo da banda “Glass n’ Glue”. E, basicamente, foi isso.

 

 

A seguir, conheça os cinco melhores desfiles da temporada (a ordem de aparição é aleatória). Não perca na nossa coluna Dicas de Moda as tendências para esta temporada (tachas, lurex, tricô...Já dá para tentar adivinhar pelas fotos dos “top 5” do Fashion Rio):

 

A carioca Cantão equilibra toque exótico, personalidade de moda e apelo comercial


Melk Z-da : inspirado na carpintaria, o estilista pernambucano uniu conceito a sensualidade, dupla difícil de ser vista junto. É o estilista, de fato, mais conceitual da temporada mas tem peças muito usáveis como o vestido da foto do álbum deste post;

 

Coven: a grife mineira produziu primorosos tricôs com opções de vestidos justos, com bonita cartela de cores e um sofisticado camuflado com dourado;

 

Lucas Nascimento: radicado em Londres, o estilista elevou o tricô a outro patamar em sua estreia no Fashion Rio. Destaque para os vestidos e casaquetos com manga estilo casulo (quando o braço parece que fica meio preso);

 

Cantão: a mais comercial das eleitas, a marca carioca vem conseguindo equilibrar uma personalidade de moda forte, com discurso de conteúdo e boas vendas. O sucesso talvez venha da estamparia, sempre colorida e marcante. Desta vez, a inspiração em Istambul trouxe peças com toque exótico sem perder o DNA esportivo e urbano;

 


Giulia Borges:  a estilista fez bonito para as moças ficarem femininas e nada bobas no próximo inverno. Giulia caprichou na ocasião, em roupas mais arrumadas, jovens, com babados nada açucarados, sem frescura (no sentido de serem frufrus demais), mesclando sensualidade e estrutura


Escrito por: Carolina Vasone


comunicar erro COMUNICAR ERRO
13/01/2010 - 23h43

Vestido para "mulher-violão": Alessa encerra Fashion Rio com bom humor

A carioca Alessa, sempre bem-humorada, encerrou o Fashion Rio com sacadas espirituosas envolvendo música e corpo. De um cenário ao fundo da passarela feito de notas musicais gigantes, as modelos apareceram para fazer uma graça: vestido estilo camiseta com estampa de microfone acabando bem embaixo da boca é realmente divertido. Os paetês gigantes em preto e branco, fazendo alusão aos teclados de piano, balançavam e eram "tocados" pelo caminhar das modelos. A estampa em cetim de seda, também de teclado, formava bonita geometria. A estampa de violão no vestido serve para quem se lembra da famosa e antiga expressão, normalmente elogiosa, da "mulher-violão", a típica brasileira.

 

Alexandre Schneider/UOL

 

Na trilha sonora, Roberto Carlos. Nas camisetas, as frases típicas do trabalho da estilista, mas mais manjadas do que as boas tiradas de estamparia e bordado. Na modelagem, comprimento curto, vestidos marcados na cintura, saias curtas variadas (mais evasês, justas, quase godês no vestido tomara-que-caia).

 

Clique para ver as fotos e o vídeo do desfile da Alessa.


Escrito por: Carolina Vasone


comunicar erro COMUNICAR ERRO

New Order lança tênis-arma e sapato de estimação

A New Order, do mesmo grupo da Osklen, fez todo mundo olhar para o chão em seu desfile de estreia no Fashion Rio. É que a marca, ao contrário de todas as outras, não vende roupa, mas calçados (a maioria), bolsas e outros acessórios.

 

Alexandre Schneider/UOL

 

Bem-humorada e inspirada em cachorros (o título da coleção é "Oh my dog"), a grife propôs alguns modelos estilo "hits" da estação para o Inverno 2010. São eles: os sapatos oxford delicados, molinhos e bem femininos (a marca de balé francesa Repetto tem um modelo parecido), um em verniz branco e preto, outro vermelho metalizado, e os tênis de paetês em várias cores. Muito graciosa a série de sapatos com estampa de dálmata.

 

Entre as criações mais divertidas, o "scarpin de estimação", que vinha com uma coleirinha de metal. Já as sapatilhas e tênis com pinos de metal pontudos e enormes inauguraram a categoria "sapato-arma" entre os acessórios (e as armas brancas!). Experimente balançar a perna e acertar o vizinho de cadeira de cinema, de mesa de restaurante. É acidente certo. 

 

Clique para ver as fotos e o vídeo do desfile da New Order.


Escrito por: Carolina Vasone


comunicar erro COMUNICAR ERRO

Ex-estilista da Maria Bonita Extra estreia no Fashion Rio

Andrea Marques ficou conhecida por transformar a Maria Bonita Extra num sucesso de vendas. Seu estilo romântico, delicado, traduzido em vestidos e quebrado levemente com alfaiataria volta às passarelas, agora com a grife própria que leva seu nome.

 

Alexandre Schneider/UOL

 

Desde 2007 fora da Extra, Andrea desfilou nesta quarta, último dia do Fashion Rio, uma coleção de roupas bem feitas, com charmes sutis. As mangas compridas estilo princesa enfeitam os vestidos, que aparecem em cetim de seda, como o laranja estampado com decote transpassado e franzido na lateral. E também o de trico cinza fininho também franzido na frente. Entre os vestidos, destaque para o azul turquesa sem manga e recortado nas costas.

 

Embora os vestidos sejam marca-registrada da estilista, as peças mais bonitas vieram da alfaiataria, na série verde oliva como a saia curta com pregas-macho que formavam espécies de franzidos, o conjunto cinza de shorts e paletó com franzido nos ombros. Os drapeados nas laterais das peças não funcionaram tanto, a estampa inspirada no trabalho da artista Malu Saddi, na calça de veludo final em fundo preto com pontos de luz amarelados, ficou muito bonita.

 

Clique para ver as fotos e o vídeo do desfile de Andrea Marques.


Escrito por: Carolina Vasone


comunicar erro COMUNICAR ERRO

“Armadura” frágil compromete “guerreiras” da Patachou

A Patachou retorna às passarelas depois de três anos sem desfilar. Mineira, antes dirigida por Tereza Santos, a grife que se apresentava no São Paulo Fashion Week preferiu o Fashion Rio para estrear a direção criativa de Erika Frade numa semana de moda de repercussão nacional.
 
Alexandre Schneider/UOL

 
O tricô, marca-registrada da Patachou, apareceu misturado a muitos outros tecidos, nem sempre robustos o suficiente para sustentar a proposta de uma mulher guerreira, inspiração da marca para o Inverno 2010. A armadura contemporânea e sexy desta mulher, assim, se tornou frágil. Muitas idéias de modelagem acabaram comprometidas pelo malha molenga e fina demais. Em outra ponta, os volumes excessivos dos tricôs poderiam ter sido diminuídos para ganhar em harmonia.

Clique para ver as fotos e o vídeo do desfile da Patachou.


Escrito por: Carolina Vasone


comunicar erro COMUNICAR ERRO

Estreante, Nica Kessler exagera no babado

Foi um babado só. Ou quase. Em cascatas, na parte de cima e na parte de baixo, cortados pela cintura marcada de vestidinhos curtos. Nos longos de microchiffon, também em mangas e em detalhes do corpo. Em sua estreia no Fashion Rio, a estilista Nica Kesller exagerou na quantidade de camadas de tecido numa mesma peça. Nos looks com peças ajustadas, da série em chamois verde, nada de babado e uma boa ideia que poderia ter sido mais desenvolvida, com recortes feitos a partir das tachas douradas.

Alexandre Schneider/UOL


Um problema da coleção de estreia da jovem marca iniciada há cerca de três anos é o excesso de propostas que não conseguem ser consturadas para contar uma mesma história. Num momento aparecem os vestidos longos e soltos, estilo “boho”, um pouco manjados. E com babados desproporcionais. Em outro momento, ela sugere a silhueta ajustada. Mas não justa demais, ao ponto de transformar uma calça preta numa legging.


Clique para ver as fotos e o vídeo do desfile de Nica Kessler.


Escrito por: Carolina Vasone


comunicar erro COMUNICAR ERRO

Navios do porto viram cenário do Fashion Rio

É  um pouco lógico que no porto haja navios. Com a correria típica de uma semana de moda, porém, muita gente só se deu conta disso ao se deparar com um deles. Já na festa de abertura do Fashion Rio, na noite da última quinta (7), o navio Jeanne D’Arc, da marinha francesa, causou comoção fashionista. Navegava em mares brasileiros em sua última viagem antes da aposentadoria, comentavam os convidados da fashion week, boquiabertos diante da paisagem inusual  (pelo menos para quem não mora no Rio).

 

Carolina Vasone/UOL

 

A parte da frente do navio de turismo da companhia MSC

 

“Estacionado” bem em frente às três salas de desfile, montadas dentro de galpões que dão de frente para o mar, o navio recebeu até visitas da moda: houve quem subisse na embarcação e tirasse fotos com os marinheiros  (aliás, a beleza dos moços uniformizados  também chamou a atenção). 

 

Três dias depois, na segunda (11), quando o francês já havia partido, outro grandalhão serviu de cenário para a semana de moda: desta vez um navio de turismo, da companhia européia MSC. Tão comprido que não coube numa foto só...

 

Carolina Vasone/UOL

 

O navio de turismo da companhia MSC ancorado em frente às três salas de desfile do Fashion Rio

 

Já ontem, terça (12), foi a vez do Pink Fleet, do empresário Eike Batista. O navio também turístico tem 54 metros, mas perto dos gigantes impressionantes dos outros dias, pareceu até pequeno. À noite, uma festa foi realizada dentro da embarcação


Escrito por: Carolina Vasone


comunicar erro COMUNICAR ERRO
12/01/2010 - 22h25

Onde está a moda praia do Fashion Rio? No cabide

O senso comum pede casaco no inverno, biquíni no verão. E é provavel que seja por isso que as marcas de moda praia não desfilaram suas coleções nesta temporada invernal para 2010. Todas, porém, colocam novas peças nas lojas, contando com o calor quase que constante do Rio e de vários estados do país. E aí dá uma vontade de saber: o que será que mudou do verão para o inverno?

 

 Carolina Vasone/UOL

Biquínis da Salinas são expostos nas araras do Rio-À-Porter. Clique para ver mais fotos.

 

Na falta da passarela, onde será que podem ser encontradas estas novidades? No cabide dos estandes do Rio-à-Porter, a feira de negócios do Fashion Rio, e que acontece paralelamente ao evento. Não deu para fazer um "look book" dos modelos (as vendedoras olharam muito desconfiadas), mas pode-se notar a cartela de cores mais escura e um número ligeiramente maior de maiôs. Os listrados grossos estão em alta e são vistos tanto na Lenny quanto na Salinas. O mesmo acontece no caso do azul marinho, do verde escuro e do marrom.

Carolina Vasone/UOL

 

Cores escuras e listrados grossos nos biquínis da Lenny no Rio-À-Porter. Clique para ver mais fotos.

 

Clique para ver as fotos do desfile de abertura do Rio-À-Porter.


Escrito por: Carolina Vasone


comunicar erro COMUNICAR ERRO

Têca fica adulta e capricha nos bordados crespos

A grife Têca já criou roupa, num passado recente, para garotas muito jovens, quase adolescentes. Se saía bem. De algumas coleções para cá foi ficando mais velha e parece ter alcançado a fase adulta, ainda que jovem, nesta coleção para o inverno 2010, apresentada nesta terça.

 

Alexandre Schneider/UOL

 

Clique para ver as fotos e o vídeo do desfile da Têca.

 

Do filme "Fome de Viver", um clássico B dos anos 80, misto de terror com romance, com Catherine Deneuve, David Bowie e Susan Sarandon, e uma das referências da coleção, saiu um clima um pouco mais soturno, em combinações de cores mais frias, como o verde e o azul, e muito uso de preto e marinho. O azul é a cor de destaque da coleção, num tom mais aberto e outro mais fechado. Os ombros marcados, vindos dos anos 80, numa versão mais leve, também fazem alusão à época do filme, e também às jaquetas de Michael Jackson. Elas também devem ter inspirado os ombros com bordados grandes e brilhantes na jaqueta preta e a manga inteira bordada em preto e vermelho do blazer usado por Viviane Orth. Outro destaque é a jaqueta azul meio Chanel com bordados pretos crespos, que você vê neste post. A saia crespa bordada em preto e vinho também ficou bonita.

 

No início do desfile, outro destaque: a boa combinação de azul e verde, não muito comum.

 

Alexandre Schneider/UOL

 

Clique para ver as fotos e o vídeo do desfile da Têca.


Escrito por: Carolina Vasone


comunicar erro COMUNICAR ERRO

Para as "rebeldes fofinhas", jaqueta perfecto com babados

O desfile da Maria Bonita Extra, que aconteceu ontem (segunda, 11/1), foi inspirado em Jack Kerouac, o famoso escritor de "On the Road". A versão da marca carioca para o espírito libertário, contestador, marginal dos beatniks pode ser exemplificada com uma peça de roupa: a jaqueta perfecto de veludo preto com babadinhos nas costas. É bonita? Muito. Descobri mais tarde, ao ler o release do desfile, que a peça está citada entre as "paixões" da coleção. Depois disso, achei minha escolha não tão original, mas como é de fato uma boa peça, aí vai. Para as "rebeldes fofinhas" se deleitarem (não dá para ver os babadinhos nas costas, uma pena...).

 

Alexandre Schneider/UOL

A jaqueta perfecto criada pela Maria Bonita Extra para o próximo inverno

 

Clique para ver as fotos e o vídeo do desfile da Maria Bonita Extra.


E por falar em rebeldia, é curiosa a escolha do tema da Maria Bonita Extra. Cada vez mais comportada, mais açucarada, a grife sempre acaba criando algumas boas peças. As outras não são ruins, são bem-feitas e muito melhores do que o que muitas marcas apresentam em loja e no Fashion Rio. Mas, quando comparada a ela mesma, a Maria Bonita Extra parece se repetir e intensificar sua alma "girlie" a cada temporada. As estampas miúdas, os babadinhos, os vestidos marcados na cintura, as combinações de cores e, claro, os coraçõezinhos que são típicos da grife. Salvo os últimos, os outros já saíram da definição de "marca-registrada" e já colocaram um dos pés na falta de imaginação.

Para o inverno 2010, a "fofice" da Extra se misturou a alguns elementos não tão fofos assim. Ou não...

 

Primeiro, a banda de rock. A Glass n' Glue, carioca, com a atriz Mayana Moura e a stylist Marina Franco nos vocais. Duas belas meninas, com roupas da coleção. Tachas, geralmente mais agressivas, apareceram nos sapatos estilo oxford em lã cinza. Numa versão pequenininha, se transformaram em bonitinhos "poás". O chapéu não era fofo, e deu um ar mais adulto às garotas. Depois, às roupas: vestidos godês xadrezes de lã com cintura marcada, cintura, aliás, sempre marcada também os modelos mais ajustados, pernas sempre à mostra. Na cartela de cores, roxo, rosa e alaranjado, além do cinza. Entre os bons momentos, saia de franjas e top transparente com coração bordado, tudo em cinza, além dos bolerinhos estruturados, com manguinhas. Fuja das estampas se não quiser ficar com uma roupa "datada" por duas temporadas. Elas são muito marcantes. 


Escrito por: Carolina Vasone


comunicar erro COMUNICAR ERRO

Espírito utilitário marca despedida na Redley

O desfile da Redley para o inverno 2010 marca a despedida do estilista Jüergen Oeltjenbruns. À frente da grife há dois anos e meio, o alemão foi o responsável pela grande virada de moda da marca carioca, até então sem muita personalidade fashion. Com currículo internacional na criação masculina (já trabalhou na Versace e na Donna Karan Homem), o designer assinou a direção criativa da coleção apresentada nesta terça com coleção de espírito utilitário, cheia de recortes, nylon e neoprene misturados ao algodão e ao moletom. O resultado são peças urbanas, confortáveis e contemporâneas, com referência ao universo biker e ao surf.

 

Embora a coleção masculina ainda chame mais a atenção, a feminina ganhou reforço com a estreia da mineira Julia Valle (ex-Rio Moda Hype) e da paulista Emilene Galende (ex-Cavalera). As garotas aproximaram a modelagem do corpo, com saias e vestidos realmente justos. Para criar uma imagem sensual mas esportiva, bolsos utilitários, botas sem salto e recortes geométricos foram acrescentados aos looks. Estes recortes, aliás, aparecem em toda a coleção, masculina e feminina, e são feitos misturando materiais, de diferentes texturas.

 

Tanto para garotos quanto para garotas, o nylon aparece como proposta em casacos e calças, com destaque para os primeiros. Na linha femininha eles aparecem franzidos, com recorte de trench coat e podem ser usados como vestido.

 

Entre os looks masculinos, destaque para os coletes estruturados e menos cavados que, usados por cima de camisas e camisetas de manga longa pareciam casacos. Os casacos e jaquetas surgem recortados, não tão moles (alguns em neoprene), deixando a produção mais arrumada, ainda que casual. A exceção são os casacos de nylon cujas estampas e modelagem conferem ares urbanos e contemporâneos ao material esportivo, leve e amassadinho. 

 

Alexandre Schneider/UOL

 

Clique para ver as fotos e o vídeo do desfile da Redley.


Escrito por: Carolina Vasone


comunicar erro COMUNICAR ERRO
11/01/2010 - 23h59

Desleixo fashion

O ator Thiago Lacerda, convidado especial da TNG ao lado de Taís Araújo, não largou seu chiclete nem para desfilar para a marca que encerrou a programação desta segunda-feira (11), quarto dia de Fashion Rio.

 

Lacerda mascou o chiclete ao longo do caminho em direção ao pit, para desespero dos fotógrafos, que clicavam cada passo do ator e tentavam imagens sem as caretas clássicas de quem está mastigando.

 

O chiclete até deu uma espiadinha para a câmera, como pode ser observado na foto abaixo. Que feio.

 

Alexandre Schneider/UOL

 

Clique para ver as fotos e o vídeo do desfile da TNG.


Escrito por: UOL Estilo


comunicar erro COMUNICAR ERRO

TNG vai à caça munida de Taís Araújo, Thiago Lacerda e boas ideias

A TNG é uma marca de moda comercial, sem pretensões conceituais, com foco no público jovem e casual. Pensando em sua configuração e no cliente que atende, a grife deve oferecer boas relações custo X benefício de roupa com cuidado de moda no próximo inverno.

 

Com estreia de Maurício Ianês (artista e stylist de Herchcovitch) na direção criativa, a coleção foi inspirada nas roupas de caçadores e populações nativas do Canadá e do Alasca. Na passarela a munição foi pesada: Taís Araújo e Thiago Lacerda, saídos diretamente da novela "Viver a Vida" garantiram o destaque nas revistas de celebridade, capas de portais de internet e jornais.

 

Além da estratégia na linha "mídia espontânea", a marca também investiu em boas idéias de moda dentro de seus interesses de venda. E aí vieram as ótimas calças utilitárias masculinas pretas, com bolsos laterais, os shortinhos desejáveis em tecido de alfaiataria para as mulheres, o xadrez em turquesa e cinza na calça e na jaqueta masculinas. Na estamparia, destaque para a em preto e branco, com desenhos primitivos inspirados nos totens da cultura Inuit. A outra foi feita a partir de fotos de folhas secas do Canada e do Alasca.

 

Basicamente, o tema podia ser notado na primeira estampa e em um ou outro detalhe, servindo para dar um charme a mais ao streetwear que foi acompanhado de algumas opções de costumes masculinos, uma delas usada por Thiago Lacerda. Macacões e macaquinhos apareceram em diversas versões para as mulheres, mas o que chamou mais a atenção foi a coleção para os garotos. Os blazers e calças sociais podem ser usados tanto para trabalhar quanto para sair, jogados com camiseta (a calça) ou jeans (o paletó, também acompanhado de camiseta). Em Thiago Lacerda, boa proposta do cardigã mais longo, com barra ultrapassando a do paletó, usada sob ele. Camiseta comprida usada com calça também pode dar bossa, mas cuidado: em homens baixos pode achatar a silhueta.

 

Na hora de comprar, preste atenção: a alfaiataria, no desfile, era fininha, leve, não parecia sintética e pesada (como poliéster). O couro sintético não parecia plástico. O algodão era fino, macio. Para repetir na loja o sucesso do desfile, a TNG terá que usar os mesmos materiais da apresentação para o inverno 2010, ou oferecerá para seus clientes um produto apenas com boas intenções. E delas, o inferno da moda está cheio.

 

Alexandre Schneider/UOL

 

Clique para ver as fotos e o vídeo do desfile da TNG.


Escrito por: Carolina Vasone


comunicar erro COMUNICAR ERRO

Não só malha: flerte de Juliana Jabour com a alfaiataria dá certo

Juliana Jabour acaba de ganhar o Prêmio Moda Brasil na categoria jovem estilista. Talvez isso tenha animado a designer a aprofundar ainda mais seu flerte com outros materiais, acrescentando aos seus famosos modelos em malha peças com tecidos e possibilidades mais ricas de criação. Se há algumas coleções a experiência com vestidos de festa em tafetá não deu certo, com a alfaiataria Juliana se saiu bem e complementou com boas peças o guarda-roupa de suas clientes jovens, bem-informadas e femininas.

 

Com vários hits de tendências como as tachas, os cintos largos, o lurex misturado à malha, a coleção trouxe peças com referência militar retrô numa boa série em marrom esverdeado (batizado de "funghi"), estampas com ares tam´bem retrôs multicoloridas com turquesa e pink além dos tricôs listrados misturados com lurex em maxi-pulls. A malha de algodão apareceu em uma peça ou outra.  

 

Alexandre Schneider/UOL

 

Clique para ver as fotos e o vídeo do desfile de Juliana Jabour. 


Escrito por: Carolina Vasone


comunicar erro COMUNICAR ERRO

Ver mensagens anteriores: 10/01/2010 a 16/01/2010 03/01/2010 a 09/01/2010